quinta-feira, 17 de março de 2016

MULHERES ETERNAS





Autoria: Vitor Castanheira e Ana Cristina
Vitor....
Mulheres do meu jardim
sem tempo
Rosas com espinhos que desfolhei
 Suaves eternas foram o alento
Das minhas desventuras que curei
Ana....
Curastes as dores da carne
Dos espinhos que espetei
Não sou rosa, sou cravo
Caídas as pétalas deixei
Vitor....
Cânticos de melodias tão suaves
Guardo em relicário no meu peito
Vão e voltam como se fossem aves
No meu hemisfério já bem desfeito
Ana....
Cantastes para mim oh! Meu caro
Melodias que chorei
Viajei por entre os mares
Do meu amado país
Vitor....
 Estendo-lhes a mão.
E um sorriso
Vem beijar-me a minha rugosa face Julgo que encontrei novo paraíso…
Ana...
Doute a ti meu bem amado
Minha mão e meu sorriso
De muito bom grado
Vitor....
Musas soletrando os meus poemas
Então sinto que se dá novo enlace
Alegro-me por ter escrito belos temas.
Ana...
Não chore pelos sulcos encravados
Eles são passaportes do passado
Sua alegria é bálsamo
Do poema enquadrado.
ARIEH NATSAC & Ana Cristina.

quinta-feira, 10 de março de 2016

Impossibilidades


Penso que às vezes sorrio,
São só flexões
De uma carne rija.
As vezes os olhos avisam
É só lentidão
De pestanas pesadas.
Creio que a mão acena
É involuntário,
Tensão,
Mas 
Se penso em Você,
O coração dispara
É amor
Mais nada.
Ana Cristina
Imagem:Google

Só Por Hoje


Aconchego


Inspiração


Nosso Universo


Preciso da sua atenção?
Só quero um pouquinho
Olhe nos meus olhos
Fixe lá no fundo
Agora desarme os ombros
Abaixe as mãos
Sente-se em frente a mim
E num gesto de sobriedade
Respire fundo
Se quiser pode cruzar as pernas
Posso lhe servir água, suco ou café
Bebida com álcool não
Diremos algumas palavras sobre futilidades
Isso dará início à conversação
Pronto
Seremos breves, talvez
Se gostar dos meus argumentos
Poderemos passar um bom tempo por aqui
Eu, particularmente tenho tantas coisas a dizer
E você, talvez queira relatar a mim suas aventuras
E lhe direi os planos que tenho
Em relação a nós dois
Somos dois seres tão profundamente iguais
E tão imensamente diferentes
Sabe porquê?
Eu sou um universo
E você é outro, que atrai a mim, constantemente
E nessa atração diária
Nossos corpos carnais se dão em amor
É por isso que estou aqui, chamando a sua atenção
Enquanto o meu sol e a sua lua
Ainda brilham
Depois que a chama se for
Não haverá mais o momento
Só a fagulha da lembrança
Aí não haverá mais nenhuma atenção.
Ana Cristina.
Imagem: Google

Mulher Simplesmente!!!