segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

O Ser.


Eu poderia,
Talvez deveria,
Exaltar o desamor
Ser tão segura de mim
Escarnecer vivaz loucura
Abominar o sol, o dia
Iludir o sonho de cor carmim
Eu poderia,
Gritar sandices
Enquanto passa a banda
Esquecer o olhar de Amanda
Ser louca de louquices
Vestir-me de esquisitices
Eu poderia,
Ser tão doida de pedra
Falar a coisa certa
Fingir que sou gentil
E dar o golpe vil
Eu poderia,
Ser este ser coringa
Saltar da cartola e pimba
Lá se vou eu encantada
Fazendo jus a tantas máscaras
Eu poderia,
Mas não deveria
Ser tão criatura nata
Bruta, massa sem casca

Mas eu posso ser
Pessoa agradável
Me ver aos poucos crescer
Tal qual pedra preciosa
Necessitando de lapidescer
Eu posso ser, um pouco eu
Um pouco você.
Ana Cristina.